Wednesday, August 15, 2007

A sós

Cheguei!
Senti-o fresco e agreste nos meus cabelos, pelo meu corpo.
Caminhei apressada como quem não pode mais esperar.
Aproximei-me de ti que forte e imponente rugias em ondas picadas e levavas tudo à tua passagem.
Sorri!
Sempre foste um espelho de mim , hoje não irias deixar de sê-lo.
Hesitei!
Estavas bravio de mais, zangado, agredindo tudo e todos que em ti se atreviam.
Molhei os pés… fui avançando um pouco mais.
É preciso compreender-te para se poder dançar contigo… e ao mesmo tempo é preciso arriscar e acreditar… tal como no amor, uma entrega. Tal como na vida.
Estendi-te o meu coração apertado. Coloquei-o nas tuas mãos e atrevi-me a dançar a tua dança, um pouco ao meu ritmo ;).
Saí!
Estendi-me numa toalha e abracei a terra abrindo as mãos para a tocar melhor. Fechei-as e agarrei com força um punhado de areia deixando-a escorrer por entre os dedos e assim fiz repetidamente durante… nem sei quanto tempo
O vento levantou-se mais.
Peguei na toalha, na roupa, nas chaves do carro e fui-me embora, tão rápido quanto cheguei, mas com um sorriso… não sem antes te dizer adeus.

3 comments:

Tânia Pereira said...

Podia ter sido eu a escrever este texto. A minha reloação / dança com ele é parecida e também o cumprimento e dele me despeço!
bjocas a ti e ao mar

Alias said...

Bonito.
Há dias assim, mesmo a sós sentimo-nos completos.
Quando tenho algo na vida que me tira o "sono", também procuro o mar.
Pena é que os problemas estão logo ali á nossa espera, mal limpamos o ultimo grão de areia dos pés.

Sandra said...

Tânia: :) Beijos linda!

Alias: Os problemas podem manter-se de facto, mas ficam sem dúvida com um caracter mais leve.
Preocuparmo-nos só serve exactamente para isso... para nos deixar preocupados. Por isso mais vale afastar os pensamentos por uns tempos e dar um belo banho de mar. Revigorante!