Saturday, December 16, 2006

(Re)Nascer


Nasço aqui, de novo e pela primeira vez!
Do útero da terra, olho-te como se nunca tivesse deixado de te ver… E não deixei.
Há quantas eternidades nos olhamos, mãe?
És o primeiro olhar que lanço ao mundo, quem primeiro reconheço desde o princípio dos tempos, em mil rostos, mil cheiros e mil sentires, e sempre tu!
Instinto que nos faz saber de onde vimos.
Sou tua filha, tua Sacerdotisa, tuas mãos na terra, tua boca nas minhas palavras.
Sigo os teus desígnios!
Através de mim chegas ao mundo…. Através de ti toco o divino.
Sou assim, e mesmo assim não deixo de “te” ser.
Eu…E tu em mim!
A tua força, na minha subtileza.
A tua sabedoria no meu encanto, que é tão teu.

Abro os braços e chamo-te, apesar de te saber aqui.
Preciso de te sentir! Os teus olhos sobre os meus, o teu colo, o teu abraço, que me embala e me diz que está tudo bem…que sempre esteve. Que tudo faz parte do caminho!
Quero voltar ao teu útero, grande mãe! Alimentar-me das águas do teu peito.
Mergulhar nas chamas do teu mar e beber do fogo divino e inspirador, restabelecer-me de energias.
Nasço aqui, hoje, de novo e pela primeira vez. Nos teus olhos, nos teus braços.
Nasço de braços abertos ao vento, tal pássaro que voa livre sobre os céus… no teu céu, no meu céu!
Sempre Eu… e tu em mim!

3 comments:

Anonymous said...

A mãe natura que é mãe de todos e a todos ama da mesma forma. Nela e com ela somos todos irmãos e lendo assim o teu texto até faz tudo tanto sentido!
Beijoca irmã (pelo menos de luas)

Sandra said...

A nossa mãe que olha sempre por nós e que faz tudo parecer tão simples. Talvez sejamos mesmo apenas nós que complicamos sempre tudo!!
Beijinho irmã de luas!

Moço Xara said...

Lindíssimo - o Natal é mesmo isso: nós todos a nascermos do útero da Terra. Obrigado pela imagem e pela Vida verdadeira e visceral que ela canta.
Beijos do Moço Xara