Saturday, March 17, 2007

Até já!

Necessidade de fugir dos sentidos e das palavras.
Não quero olhar para dentro. Sinto que não posso, ou vou travar o meu percurso.
Preciso dar tudo de mim para outras coisas, para a vida cá fora e para a minha construção. Sei que no momento em que parar o silêncio e o vazio inundam tudo!
Não o permito.
Fiz outra escolha!
Escolho ser alegria, vida e leveza. Tudo o que não fizer parte disso não entra no meu mundo!
Não há espaço para o vazio, nem para o silêncio, e muito menos para sentir falta de quem não a sente!
Absorvo a vida como se devorasse a maça entregue por Eva e agarro tudo o que ela me está a trazer.
Este é o momento, sinto-o. O amanhã se verá!
Não fujo deste meu espaço, nem o abandono. Apenas preciso de tempo, de viver longe uns momentos e não olhar para o fundo… até que o mar se apazigúe , até que o sol nasça.
Um até já!

5 comments:

poeta_poente said...

É bom sabermos perder-nos para nos encontrarmos

Tânia Pereira said...

Então o até já alarga-se de mim para ti!
SE precisares de alguma coisa, tou por cá.
Ao virar da esquina ou da página que nunca se quer pesada demais!
Força aí!!

Valter Martins said...

Boas moçoila marafada ... assim é que se fala ... que venha com ou sem maças ...eheheh .... beijos ... saudades!

Momentos de vida said...

Pois eu andei quase a me ausentar tb, mas decidi que não. Entendo tuas razões e seja breve!

beijos

Moura ao Luar said...

Beijos de bom domingo